Miniconto III

Um verso caminhava pelas ruas escuras da cidade, assoviando a sua própria musicalidade. Faminto, vestia roupas justas e se oferecia aos homens em troca de comida. Sonhava em crescer e se tornar uma poesia. Algumas vezes era notado por antologias, mas ocupadas demais com seus próprios poemas, não queriam adotá-lo. Sozinho, com frio, caminhava, esperando o seu lugar no mundo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *